Educação do campo

Educação do campo

Projeto Juventude e Agroecologia. Na escola do campo, não se nega apenas uma escola de qualidade – são negados muitos outros direitos. Problemas a serem enfrentados “Não dá para olhar a escola do campo e enxergar um único problema. Por isso, os movimentos sociais têm defendido uma política nacional de educação do campo. Este livro pretende-se testemunho de um processo de formação de educadores que inclui a pesquisa como estratégia pedagógica e foi desenvolvido ao longo de um curso de graduação em Pedagogia, específico para educadoras e educadores do campo vinculados a movimentos sociais.

Educação do campo

Por que educação do campo ? Valorizar e contribuir para a preservação das especificidades culturais e econômica, religiosa, social do sujeito do campo. Para dar garantia a efetivação do direito do individuo em escolarizar-se. Há poucos estudos sobre está modalidade de ensino, por isso a importância de se discutir esse tema, na perspectiva legal.

Estamos assistindo ao extermínio do ensino voltado às populações historicamente mais pobres e condenadas à ignorância. Grande parte dos analfabetos brasileiros encontra-se justamente nas zonas rurais. Para que isso ocorra, o educador precisa conhecer a realidade que o aluno apresenta na sociedade. Diz respeito a todo espaço educativo que se dá em espaços da floresta, agropecuária, das minas e da agricultura e ultrapassa, chegando também aos espaços pesqueiros, a populações ribeirinhas, caiçaras e extrativistas.

Educação do campo

As políticas educacionais para o campo se constroem ou se estruturam a partir das determinações do modo de produção capitalista, e também a partir de uma educação vista sob a ótica urbana, porque é considerada mais desenvolvida. Luís Armando Gandin, Editor-chefe, Porto Alegre, RS, Brasil. EDUCAÇÃO DO CAMPO : Problemas, desafios e perspectivas. A educação no meio rural, no Brasil, ainda tem muito a desenvolver.

A falta de políticas educacionais voltadas para esse fim caracteriza a desvalorização do homem do campo , estabelecendo uma vida limitada aos seus filhos. Por Wesley Lima Da Página do MST. Só há conquistas se houver organização, resistência e luta. Essa premissa acompanha a história do MST e, em especial, a educação do campo , que foi construída dentro do Movimento como um instrumento de formação e emancipação dos sujeitos, marcada por processos e conquistas importantes. Professor, Parabéns pela iniciativa!

O significado da educação do meio rural ainda vem a refletir a respeito de um local sem possibilidades, é um local de transição para a cidade. Agroecologia Desenvolvimento Rural-Residência Agrária,na escola em que trabalho,desenvolvo uma pequeno plantação de sementes. Esses elementos podem ser potencializados quando se trabalha em contexto rural. A coletânea reúne artigos de diversos professores e pesquisadores que atuam na área da educação do campo.

Para que a educação do campo seja de qualidade, é necessário considerar os educandos como sujeitos da sua própria história, considerando a escola como local de apropriação do conhecimento científico historicamente produzido e produção desse conhecimento, o que deve ser feito através de conteúdos e metodologias significativas. As políticas públicas para a educação rural têm sido relegadas ao esquecimento, visto que a educação para o meio rural vem compor as agendas oficiais dos governos muito tardiamente. No centro de um sistema educativo deve situar-se o ser humano a educar, num horizonte de plenitude. Educação do campo no Brasil.

Edinaldo Carvalho Sou paraense, nascido na Cidade de Belém, formado em Pedagogia, Especialista em Gestão Escolar, atuando profissionalmente nos municípios de Bragança e Augusto Corrêa em escolas do Campo. Que ele se constitua como um espaço de interação, publicação, divulgação de trabalhos e experiências na busca de construir uma educação do campo que atenda a necessidade de homens, mulheres, jovens, crianças e velhos que vivem e trabalham no campo. A partir dessas Conferências, a educação do campo foi sendo aos poucos institucionalizada pelos marcos regulatórios do Estado, principalmente, a partir da promulgação jurídica da educação do campo na legislação educacional brasileira, bem como, com a implementação de programas e projetos, intitulados de políticas públicas. Sistematizar e produzir publicações sobre as experiências de Escola do Campo.

Falar de educação do campo é pensar numa educação voltada para os atores sociais que vivem no campo , uma educação diferenciada que atenda a demanda desta população, com métodos e formas de lidar com esta realidade de uma forma especial. A escola do campo é aquela que esta situada no campo e oferece educação para alunos oriundos do campo. O Curso integra a política de qualificação docente do Governo Federal e tem como objetivo propiciar formação de nível superior para professores que atuam na educação do campo , de forma a contribuir para a melhoria da qualidade da educação do Maranhão e, portanto, dos índices educacionais de cada município. O homem do campo busca uma educação que atenda às suas necessidades e que respeite o seu contexto socio-cultural. A escola precisa ter como objetivo o reconhecimento do trabalhador do campo , valorizando suas experiências, seus conhecimentos prévios, enfim, sua história.

O curso foi concebido a partir da demanda existente nas cidades do interior, face aos projetos governamentais denominados Escolas do Campo. Ao se analisar quais os passos a serem dados objetivando uma educação do campo , parecem-nos que a ação deveria começar por uma pedagogia da escuta, escutar os maiores interessados: educandos, funcionários, professores e comunidade. Considerando, pois, que estes são sujeitos e não objetos do processo.

As políticas para a chamada educação rural sempre tiveram como objetivo uma vinculação a um projeto de ruralidade do país. A partir da análise das demandas dos movimentos sociais do campo pelo direito ao acesso a educação , percebe-se que estamos numa fase que ultrapassa a fase da declaração dos direitos à educação escolar das populações do campo , e mesmo da sua regulamentação, à concreta implementação de políticas públicas que criem efetivamente as condições para que esse direito seja assegurado.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *